segunda-feira, fevereiro 16, 2009

A Dúvida


Porque foges?
Porque te escondes de mim todos os dias sem que eu te possa tocar?
Porque ignoras os meus pedidos?
Sou menos que nada, não importo, não mereço?
Ou sou tão vil e imundo que tenho que viver escondido dos teus olhos?

Dizes-me que me amas, mas não me atendes,
dizes que me vês, mas não olhas para mim.

Porque sofro?
O que foi que eu fiz?



Eu vejo.
A cada minuto olho para ti e vejo o teu sofrimento, mas, sobretudo, a tua falta de fé.
A cada instante que pedes ajuda, recusas acreditar que estou lá contigo.
Lamentas uma sorte infeliz, mas trabalhas nela dia-a-dia, empenhas-te demasiado em mantê-la contigo.
Liberta-te. Pousa o fardo que carregas e não o lamentes, entende-o.
Tudo tem um sentido, até o teu sofrimento, e cabe a ti descobrires a razão.
A resposta está lá.
E a minha ajuda só serve se acreditares nisso. E em Mim.
Criei-te para seres feliz, se não o és, o que te falta?
Crê.
Em Mim, em ti, e nos outros.
Tudo o resto aparecerá por si só.
Mas crê.

1 comentário:

ALFF disse...

Bem este texto...
Eu diria que, a ser como descreve, e não meros devaneios, isto é caso para dizer que quem não crê é quem escreve!
Ferver em pouca água lol! Não somos da mesma família pois não?! Apenas conterrâneos :) E pelos vistos cruzamos alguns lugares comuns de norte a sul.